Visitas

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Tarantino Indica.

O cineasta Quentin Tarantino volta às telas neste fim de semana com "Bastardos inglórios" , em que se adota a Segunda Guerra Mundial como cenário pela primeira vez. Mas o diretor afirma que sua principal inspiração para fazer o filme, que estreia nos EUA neste fim de semana, está na história do cinema.
Assim, Tarantino aplica seus profundos conhecimentos de cinéfilo para apontar seus cinco filmes favoritos ambientados na Segunda Guerra. Não necessariamente um "top 5", sua lista mistura filmes de guerra famosos e elogiados com dramas tão obscuros, quem nem o próprio Tarantino conhecia até começar sua pesquisa para "Bastardos".

Confira abaixo a lista dos melhores filmes de Segunda Guerra por Quentin Tarantino.



'Fugindo do inferno' (1963)
Tem uma história de Segunda Guerra mais bacana do que a desse épico de John Sturges? O filme mostra uma fuga em massa de um campo de concentração nazista e traz um elenco com Steve McQueen, James Garner, Richard Attenborough, James Coburn, Charles Bronson e Donald Pleasence.
"É provavelmente meu favorito entre os filmes de guerra", diz Tarantino. "É um dos longas-metragens mais divertidos de todos os tempos e para mim foi uma espécie de referência ao fazer 'Bastardos inglórios', de alguma forma. Queria fazer um filme sobre a Segunda Guerra assim, divertido, gostoso de assistir."



'Os doze condenados' (1967)
A saga de Robert Aldrich é o maior exemplo do subgênero de guerra "um homem, uma missão", que inspirou Tarantino em "Bastardos inglórios". Lee Marvin, Ernest Borgnine, Charles Bronson, Jim Brown, John Cassevetes, Donald Sutherland e Telly Savalas atuam na história de um grupo de perdedores condenados que ganham uma segunda chance ao participar de um esquadrão em missão suicida contra os nazistas.
Tarantino diz que esse filme merece um lugar em sua lista dos "elencos mais icônicos da história". Ele afirma: "Eu nunca a cartilha normal do gênero ou dos subgêneros com que lido. Geralmente é uma situação em que eu sento e penso: vou fazer o meu 'Os doze condenados'. É difícil, mas sei que se tudo der certo, eu vou conseguir propiciar o prazer que eu encontrei nesses gêneros, mas entregando algo bem diferente. Acaba virando uma outra coisa. Eu gosto de transformar a história em algo maior e mais amplo do que um determinado subgênero."



'Cinco covas no Egito' (1943)
Dez anos antes de "Inferno nº17", Billy Wilder dirigiu essa trama de 1943, que gira em torno de um oficial britânico disfarçado (Franchot Tone) e uma mulher (anne Baxter) que ajuda a administrar um hotel no meio do deserto onde fica o quartel- general alemão.
"É um dos meus filmes favoritos, com certeza", diz Tarantino. "Billy Wilder e o co-roteirista Charles Brackett escreveram algo original, já que não segue a história clássica. Eles criaram de um modo próprio. Não é muito verossímil, mas é fantástico."



'Tonight we raid Calais' (1943)
Essa aventura de John Brahms traz no elenco John Sutton como um agente de inteligência britânico que trama destruir uma fábrica de munições nazista na França. Ele consegue abrigo com a família de um fazendeiro (Lee J. Cobb), cuja filha culpa os ingleses pela derrota da França. O roteiro é de Waldo Salt, que depois ganhou o Oscar por "Perdidos na noite" e "Amargo regresso".
"É um dos filmes que descobri quando fazia uma pesquisa para 'Bastardos inglórios'. É um filme fantástico pelo qual me apaixonei", diz Tarantino. "Tem algumas sequências que realmente parecem narrativa moderna. Não têm um clima de narrativa clássica. Waldo Salt é considerado o pai da narrativa moderna, e nós podemos ver isso bem nesse filme. Parece que foi escrito hoje."



'Action in Arabia' (1944)
O diretor russo Leonide Moguy fez alguns filmes em Hollywood durante a Segunda Guerra, incluindo esse suspense estrelado por George Sanders. Ele interpreta um repórter no Oriente Médio que é pego no meio da disputa entre nazistas e aliados pelo mundo árabe.
"Esse é outro filme que eu descobri e me apaixonei", diz Tarantino. "Eu realmente amo esse filme, mas, como dá para perceber, o que me chama a atenção nesses filmes não é a coleção de tanques nem as grandes batalhas. Embora eu goste desse tipo de coisa, sou mais ligado nas versões da guerra centradas na história."
____________________________________________________________________



Aproveito para indicar um curta nacional que tenta desvendar alguns aspectos da mente fértil do Sr. Tarantino.

Tarantino´s Mind
Com: Selton Mello e Seu Jorge
video

Um comentário: